Sotreq fornece geradores para projeto inédito e sustentável

Edição: 
Nº 69

Sotreq fornece geradores para projeto inédito e sustentável

Hidrovias do Brasil terá os dois primeiros empurradores de manobra elétricos do mundo 

A Sotreq vai fornecer quatro grupos geradores para um projeto sustentável e inédito. A Hidrovias do Brasil, maior operador logístico fluvial da América Latina, assinou, em março de 2021, contrato com o estaleiro Belov para a construção dos dois primeiros empurradores de manobra elétricos do mundo. Cinco meses depois, a Sotreq fechou a venda de quatro geradores Caterpillar à Hidrovias, mas sua participação não se resumiu a essa transação comercial. “Não foi apenas uma venda. Quando o surgiu a intenção de levar adiante esse projeto, a Sotreq auxiliou no desenvolvimento”, explica Daniel Andrade, consultor de novos negócios da Sotreq. 

Destaque no mercado marítimo e com forte cultura socioambiental, a Hidrovias do Brasil iniciou em 2018 os estudos para construir o primeiro empurrador elétrico do mundo. A ideia saiu do papel e a expectativa é de que a embarcação pioneira comece a funcionar no final de 2022.  
A Sotreq participou do projeto e forneceu os grupos geradores que alimentam os motores elétricos, responsáveis pela propulsão da embarcação. Além disso, os geradores – serão dois para cada empurrador – também serão capazes de carregar o grupo de baterias para o sistema híbrido da embarcação. E é justamente o uso dessas baterias que será responsável pela diminuição da emissão de poluentes.

Descarbonização

Ao substituir a propulsão convencional a diesel marítimo pela geração híbrida com baterias elétricas, a Hidrovias do Brasil calcula que a atmosfera deixará de receber, por ano, até 2.168 toneladas de gás carbônico. Tudo isso sem perder eficiência da embarcação e com possibilidade de aproveitamento de energia elétrica renovável. 
Para a Sotreq, participar de um projeto inovador fortalece o relacionamento com um cliente importante. “Esse fornecimento reforça nossa parceria com a Hidrovias do Brasil e amplia nosso leque de aplicações para o mercado marítimo, principalmente no setor hidroviário, que vem expandindo suas operações. Além disso, trata-se de um projeto inovador, com foco em soluções sustentáveis para a redução de emissão de poluentes”, destaca Daniel Andrade. 

Poraquê e Enguia

Os dois empurradores vão operar em águas amazônicas, na área onde está o terminal da Hidrovias do Brasil em Vila do Conde (PA). A intenção da companhia de logísticas integradas é substituir, gradativamente, seus empurradores por modelos elétricos mais sustentáveis. As embarcações, que serão batizadas de Poraquê e Enguia (peixes encontrados na Amazônia), vão contar com grupos de geradores da Caterpillar, modelo C18 de 565ekW@480V.

MARÍTIMO