Sinergia de empresas aquece exportação de máquinas pesadas usadas

Sinergia de empresas aquece exportação de máquinas pesadas usadas

Soimpex e Sotreq unem forças e viabilizam envio de equipamentos para o exterior 

 

Por um lado, uma empresa especialista em exportação e importação. Por outro, uma que trabalha com equipamentos pesados. Em determinado momento, perceberam que havia um nicho de mercado a ser explorado e uniram suas forças para exportar máquinas usadas. 

 

Este cenário já é real desde 2015, graças à união de forças da Soimpex e da Sotreq, empresas do mesmo grupo e com especialidades distintas. A primeira, com sede no Espírito Santo, tem know-how em importação e exportação. Já a Sotreq é a principal dealer da Caterpillar e os equipamentos Cat® têm excelente aceitabilidade do mercado mundial, ainda que usados. 

 

Na intersecção, há empresas que buscam essa facilitação no mercado para atender seus clientes no exterior. O DLL, por exemplo, subsidiária da multinacional Robobank e que atua com financiamento de equipamentos em geral, já utiliza a expertise das empresas para atender os seus clientes lá fora. 

 

Do Brasil para Dubai 

“Fizemos a primeira exportação em julho de 2018, de uma Motoniveladora Cat® 140K para nossa entidade/irmã de Dubai. Desde então, já exportamos quatro equipamentos pela Soimpex para esse mesmo destino”, afirma Marcus Nepomuceno, gerente global de vendas de equipamentos e de ativos do DLL. 

 

Ele afirma que o DLL ainda é muito incipiente no Brasil, mas o plano é que o crescimento venha com a expansão para outros países da América Latina. O foco são todos os equipamentos que se encaixam nos segmentos de construção, mineração e agricultura. 

 

No que depender de clientes importantes como o DLL, a sinergia Soimpex/Sotreq ainda vai beneficiar muitas companhias no mercado de equipamentos usados, que acena para um futuro promissor. “Por dois motivos principais: nos diferenciarmos da nossa concorrência, oferecendo um produto que agrega valor aos nossos clientes, e também por termos uma cultura de utilizar/servitizar nossos ativos o máximo possível”, afirma Marcus. 

 

Mais de 15 países 

O coordenador comercial de máquinas usadas da Sotreq, Felipe Ongaro, endossa essa visão otimista do mercado da linha amarela. “A cada dia que passa conhecemos novos clientes e temos novas oportunidades de exportação. Já exportamos para mais de 15 países e temos uma parceria muito forte com todos os revendedores Caterpillar no mundo”, explica. 

 

Entre as famílias de máquinas mais procuradas no Brasil estão as motoniveladoras e o trator de esteira, com demandas vindas principalmente da África e da Austrália. Famílias, aliás, com boa procedência. “A Sotreq realiza uma inspeção seguindo o padrão mundial da Caterpillar em equipamentos usados, o que traz mais confiança e transparência aos nossos clientes”, enfatiza Felipe. 

 

Ele ressalta que todos ganham neste processo. A Sotreq, pela oportunidade de acelerar as vendas com baixo giro no mercado nacional, e quem compra, pois consegue adquirir um equipamento com qualidade e por um preço mais atrativo. 

 

Ganho nas parcerias 

Vivian Nascimento, consultora comercial de comércio exterior da Soimpex, reforça esse ganho nas parcerias. “Somos uma empresa do grupo e a exportação de máquinas usadas foi uma oportunidade que a UNCO (Unidade de Construção da Sotreq) vislumbrou junto à Soimpex em um momento de crise e nos ajudou a faturar e, além disso, beneficiar muitos clientes”, afirma. 

 

Comentar