Segurança do trabalhador em primeiro lugar

Segurança do trabalhador em primeiro lugar

A Sotreq e empresas do grupo, como a SITECH, trazem tecnologia de operação remota de máquinas que colaboram diretamente para melhorar a segurança em áreas de risco

 

 

Por definição, a Quarta Revolução Industrial – ou Indústria 4.0, como é mais conhecida – engloba tecnologias para automação e troca de dados, utilizando conceitos de Sistemas Ciberfísicos, Internet das Coisas e Computação em Nuvem. Essa evolução é aqui. E é agora. No Brasil, empresas como a Sotreq e a Caterpillar trabalham por soluções com tecnologia inovadora que ampliam conceitos de produtividade que contribuem diretamente na manutenção da segurança no trabalho.

 

O Brasil registrou 528.473 acidentes de trabalho relacionados à área de máquinas e equipamentos entre 2012 a 2018. Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, criado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT). Ainda segundo informações das entidades, as despesas com afastamentos previdenciários somaram R$ 732 milhões. Soluções como as de operações remotas oferecidas pela Sotreq podem ajudar a proteger os trabalhadores de diferentes áreas.

 

A SITECH Brasil está implantando um sistema em máquinas da Cat® que permitirão diferentes atividades de trabalho pesado sem que os operadores permaneçam nas áreas de risco. Isso significa que, enquanto tratores de esteiras, escavadeiras, pás carregadeiras e motoniveladoras se movimentam, os operadores estão a uma distância que pode chegar a 1km. São avanços tecnológicos que serão aplicados diretamente ao trabalho das construtoras, com ganhos em diversas partes do processo de trabalho. Agora, máquinas diferentes podem ser utilizadas simultaneamente de forma remota em áreas críticas, onde a segurança do trabalhador é o ponto principal de preocupação.

 

Marx Gutierrez, gerente Geral SITECH Brasil, exemplifica alguns dos diferenciais da nova tecnologia. “O sistema é composto pela junção de várias soluções que já comercializamos separadamente e outras desenvolvidas exclusivamente para esse projeto, tais como o Trimble Earthworks e Trimble GCS900: tecnologias 3D que permitem operar os implementos de forma automática sem a interferência do operador; Trimble Stratus: utiliza imagens coletadas por drone para gerar projetos topográficos e acompanhar a evolução da obra; Inclinômetros SITECH: monitoraram a estabilidade da máquina; além de câmeras de alta resolução que transmitem em tempo real as imagens das operações, controle remoto para operação das máquinas e radar de aproximação para evitar colisões.”

 

Gutierrez reforça a relevância das novas tecnologias para diferentes tipos de áreas do mercado nacional. “Além de produtividade, eficiência, agilidade, o mercado da construção tornou notória a questão da segurança. Hoje, é primordial não apenas salvar vidas, mas cuidar das vidas, zelando pelo bem-estar de todos os envolvidos no processo de trabalho. Nosso projeto alia precisão, cuidado e segurança, sem perder de vista a excelência na entrega de resultados”, atesta.  

 

A Sotreq também traz para o Brasil a tecnologia de alta precisão chamada Command for Dozing, disponível atualmente para os Tratores de esteiras Cat®D10T e D11T. Com ele, é possível operar uma máquina a partir de longas distâncias, inclusive entre países, como ocorreu na Cabine de Operação Remota instalada no estande da Sotreq na Exposibram, no mês de setembro, em Minas Gerais, onde foi possível mover um trator que estava no Centro de Demonstração de Máquinas da Caterpillar, na cidade de Tucson, no Arizona, nos Estados Unidos.

 

“Com o sistema Command for Dozing é possível deslocar o operador de um local de risco para um ambiente controlado. Ou seja, enquanto o profissional envia os comandos do escritório ou até de sua casa, a máquina executa o trabalho em qualquer tipo de condição adversa. Importante destacar os benefícios para a saúde dos trabalhadores, que não estarão submetidos à intensa vibração do trator quando há necessidade de desmontar material mais duro”, esclarece Bruno Peixoto, gerente de tecnologia para mineração da Sotreq.

 

Como o trator de esteiras demanda ações mais repetitivas e menor complexidade de comandos, é ideal para a operação remota. Contudo, o sistema Command também conta com cabines para outros ambientes, como mineração subterrânea e controle de carregadeira de rodas. Peixoto cita também como a tecnologia atua para preservar o equipamento. “A programação oferece a opção para que o trator de esteira pare de se mover automaticamente se estiver em uma área na qual esteja impedido de operar.”

 

Retirar pessoas de operação de risco não é mais uma opção. É prioridade no Grupo Sotreq e também, em grande parte, dos segmentos da indústria. A solução de máquinas tele operadas ganha força na mineração, e vai crescer também na construção, indústria, setor aéreos, portuário, ferroviário e na agricultura. O conceito de operações não tripuladas vai evoluir e ganhar força em vários setores da economia brasileira. A Sotreq está preparada para atender as demandas.

 

Comentar