Maior projeto do mercado offshore

Maior projeto do mercado offshore

Companhia Brasileira de Offshore e Sotreq assinam contrato para mais duas embarcações

 

Apesar da queda do mercado offshore, algumas empresas seguem com os planos de ampliação da frota. Caso da Companhia Brasileira de Offshore (Grupo CBO), que fechou contrato com a Sotreq recentemente, para a aquisição de equipamentos para mais duas embarcações.
 

No final de 2014, a Sotreq comercializou motores de propulsão, caixas redutoras e sistema de propulsão CPP para quatro navios AHTS18000 (Anchor Handling Tug Supply Vessels). O primeiro destes AHTS tem previsão de comissionamento no primeiro semestre deste ano.

 

“Este novo projeto estreita ainda mais o nosso relacionamento com a CBO. Hoje são três embarcações PSV4500 com equipamentos Cat®, em operação, além dos seis navios AHTS em construção no Oceana Estaleiro”, diz Rodrigo Feria, gerente de vendas de Mercado Marítimo da Sotreq.
 

Licitadas na sexta rodada do Programa de Renovação da Frota de Embarcações de Apoio Marítimo (Prorefam) da estatal, os navios de apoio marítimo foram projetados para desempenhar operações de manuseio de âncoras, reboque e suprimento de plataformas, afretadas à Petrobrás.
 

Segundo o gerente de vendas, a negociação envolveu o pacote de propulsão completo, que inclui quatro motores MaK 6M32C (3.000 bkW @ 600 rpm) e duas linhas de eixo com propulsores de passo controlável Cat® Propulsion. Os principais objetivos da CBO eram redução no consumo de combustível e dos custos manutenção.

 

Para assegurar que os objetivos do cliente sejam alcançados, a solução desenvolvida pela Sotreq combina a baixa rotação dos motores de propulsão MaK M32 com a tecnologia “feathering” do sistema de propulsão Cat® Propulsion, que permite o desligamento dos motores de uma linha de eixo sem que a mesma cause resistência adicional à embarcação.
 

“Essa solução garante menor consumo de combustível, bem como menor desgaste dos motores e demais componentes do sistema. Acarretando, assim, em menor custo total de propriedade durante a vida da embarcação”, informa Feria.