Escola Mágica percorre o Brasil com mescla do lúdico e do mundo real

Escola Mágica percorre o Brasil com mescla do lúdico e do mundo real

Sotreq e Soimpex patrocinam apresentação que reúne mágica e direitos das crianças

O mundo encantado da magia e o mundo real dos direitos da criança e do adolescente. Uma família de Minas Gerais juntou esses dois mundos e roda o Brasil com o projeto “A Escola Mágica”, para divertir e despertar essa consciência nas comunidades escolares. A iniciativa, que tem o patrocínio das empresas Sotreq e Soimpex, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, prevê cem apresentações em escolas de Minas Gerais, do Espírito Santo, Goiás e do Pará até o fim do ano.

“Ao apoiar um projeto como esse, temos a oportunidade de contribuir para a formação da cidadania de crianças, além de conscientizar e promover a discussão em casa e na sala de aula, enfatizando o respeito à dignidade e aos seus direitos”, explica Danielle Caria, Analista de Responsabilidade Social da Sotreq.

 

Mágica e direitos

A apresentação da Família Kradyn começa com mágicas, o que por si só já prende a atenção dos estudantes e de toda a comunidade escolar. Na parte final é feita uma introdução aos direitos da criança e do adolescente, preconizados pelo ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), um dos mais importantes códigos acerca dos direitos humanos e do ordenamento jurídico do país, em vigor desde 1990.

 

“É imensurável para as crianças e para nós a alegria em cada apresentação”, diz Claudio Medina, que produz os espetáculos junto com a esposa, a filha e um assistente. Em cada escola em que se apresentam é distribuída uma pequena cartilha sobre os direitos das crianças e, em algumas delas, disponibiliza-se a alguns participantes uma formação na arte da mágica, conforme prevê a Lei de Incentivo à Cultura.

 

Integração

“O projeto traz a integração família-criança-escola, e não fica só num espetáculo de mágica”, justifica Danielle. O propósito do projeto de trabalhar a prática de atitudes positivas através da conscientização das crianças, dos pais e da comunidade local, foi fundamental para que a Sotreq e a Soimpex decidissem apoiar a iniciativa da família Kradyn.

Das apresentações de maio, dez foram em Vespasiano, até o dia 24. As outras serão em Lagoa Santa, Santa Luzia, Pedro Leopoldo, São José da Lapa e Belo Horizonte, com duas apresentações em cada cidade. Para junho, também com dois espetáculos cada uma, estão Contagem, Betim, São Gonçalo do Rio Abaixo, Barão de Cocais, Santa Bárbara e Itabira.

A partir de julho, a família Kradyn (nome que faz alusão “ao jeito mineiro” como Claudio Medina era chamado) segue para as cidades dos outros três estados. A lista atualizada dos locais das apresentações pode ser conferida na página da família na internet, www.facebook.com/aescolamagica.