Equipes da Radix conquistam 1º lugar na Hacking.Rio

Equipes da Radix conquistam 1º lugar na Hacking.Rio

Grupos formados por funcionários da empresa ganharam competição nos clusters Logística e Mobilidade Urbana, e Alimento, Smartfood, Agritech e Agrotech

 

Duas equipes da Radix conquistaram o primeiro lugar dos clusters no hackathon da Hacking.Rio, maior maratona de hackers da América Latina, realizada entre os dias 27 e 29 de julho no Rio de Janeiro.

 

Com a participação de cerca de 600 programadores, a competição foi dividida em 15 clusters. Em dois deles, Logística e Mobilidade Urbana, e Alimento, Smartfood, Agritech e Agrotech, os vencedores foram grupos formados por funcionários da Radix.

 

“Desenvolvemos um aplicativo para empresas oferecerem transporte para levar e buscar os funcionários por meio de uma rota mais rápida e econômica”, comenta Julio Pereira, de 28 anos, formado em ciência da computação e que fez parte do grupo vencedor do cluster de Logística e Mobilidade Urbana.

 

Segundo Pereira, o desafio era melhorar a mobilidade do Porto Maravilha, na região portuária, com o auxílio da iniciativa privada. Funciona assim: o aplicativo registra o endereço dos colaboradores e traça o melhor caminho para buscá-los e levá-los.

 

“Muitas pessoas vão para o trabalho de carro por causa do maior conforto em relação ao transporte público. Mas ter um ônibus da empresa que te pegue e busque em casa é ainda mais confortável e diminui o número de carros nas ruas”, acrescenta. 

 

Agronegócios

No cluster de Alimentos Smartfood, Agritech e Agrotech, o desafio era criar soluções para o setor de agronegócios. O grupo formado pelo engenheiro de produção, Luciano Galvão, 28 anos, desenvolveu um aplicativo que otimiza a classificação de grãos.

 

Atualmente, são mais de 250 mil caminhões por safra, e a classificação de cada grão é feita manualmente, olhando a cor de cada soja para avaliar se está boa para consumo, se vai virar óleo ou ser descartada. 

 

“Essa classificação, muitas vezes, não tem transparência, é incorreta ou tem um preço impróprio”, explica. A novidade faz essa classificação automaticamente via reconhecimento de imagem. De acordo com Galvão, a ideia surgiu após conversar com um dos clientes da Radix sobre a dificuldade de classificar um grão.

 

Para o CEO da Radix, João Chachamovitz, a conquista do primeiro lugar nesses dois clusters é importante por ajudar a construir soluções para o Rio e por estimular os funcionários: “É uma satisfação para empresa contribuir para um evento desse porte, ajudando a desenvolver soluções para a cidade onde a empresa nasceu. Ao mesmo tempo, é muito positivo desafiar e estimular nossos talentos. Lá, eles trocam e ampliam conhecimento da área”. 

 

A Radix, uma empresa carioca e de tecnologia, patrocinou a Hacking.Rio e levou 30 funcionários para participar do hackathon. A maratona de especialistas em tecnologia e designers durou 42 horas.

 

Além do hackathon, houve Conferência de Palestras e Fórum de Internacionalização e Investimentos. A programação do evento promoveu uma troca de experiências, soluções e inspirações para os desafios da sociedade e do mercado do Rio de Janeiro. Ao todo, foram 62 palestrantes e mais de dois mil participantes.

 

Os participantes dos grupos foram:

Logística e Mobilidade Urbana

Julio Pereira 

Fausto Junqueira

Lucas Reis

Willow Chung

Daniel Lima
 

Alimentos Smartfood, Agritech e Agrotech

Luciano Galvão Filho 

Felipe Gaya 

Willian Steffenn 

Gabriel Vinagre  

Daniel Gomes de carvalho

 

Comentar