Ao ler revista ELO, jovem se apaixona por máquinas pesadas e torna-se mecânico

Ao ler revista ELO, jovem se apaixona por máquinas pesadas e torna-se mecânico

Raysander Mendes Calavorte, de 25 anos, trabalha na manutenção e reparação de equipamentos

 

Ao longo dos anos, a ELO News (newsletter do Grupo Sotreq) sempre foi produzida com muita dedicação e carinho, tanto para clientes e colaboradores quanto para pessoas que se interessam por esse mercado. Que o diga Raysander Mendes Calavorte, de 25 anos.

 

Morador de Baixo Guandu (ES), localizada a 181 km da capital Vitória, ele conta que começou a se apaixonar por máquinas pesadas quando ganhou do chefe um kit do Grupo Sotreq com um bloco de anotações, uma caneta e uma revista ELO, antes dela se tornar totalmente digital.

 

A publicação foi lida várias vezes por Calavorte. “Com o tempo, fui despertando a curiosidade pelo mundo dos equipamentos pesados”, lembra. Resolveu se informar sobre esse mercado e descobriu que a mão de obra mecânica era bem escassa. Havia falta de profissionais que entendessem bem do assunto.  

 

O interesse dele era tanto que logo conseguiu um emprego como ajudante de mecânico, onde trabalhava na manutenção e reparação de máquinas pesadas. Foi lá, em 2010, que teve o primeiro contato com um equipamento Cat®: uma Escavadeira Hidráulica Cat® 320CL. Daí para frente, entendeu o reconhecimento da marca. Atualmente, trabalha como mecânico de máquinas pesadas na empresa RDM Locação.

 

Quando perguntado sobre seu equipamento Cat® preferido, a resposta está na ponta da língua: as carregadeiras de rodas. Por quê? Pela capacidade de levantamento de cargas pesadas. “Estamos com uma Carregadeira de Rodas Cat® 992G aqui, um equipamento fora do comum, com uma enorme força de levantamento”, conta. Uma máquina que, para Calavorte, era um tipo de lenda: “nunca tinha visto, só ouvia falar”, lembra. 

 

E quem disse que só cliente é que sabe das vantagens de ter um equipamento Cat®? O ajudante de mecânico fala com propriedade quando se trata dos benefícios de uma máquina Cat®. “O principal diferencial é o pós-venda, pois hoje em dia não adianta ter um equipamento para o qual você não encontre peças de reposição”, diz.

 

Calavorte quer ir além e tem como planos se especializar em máquinas pesadas. Para quem iniciou nesse mercado por meio de uma revista e, atualmente, fala com segurança, ser especialista é uma questão de tempo. Ninguém duvida. 

Comentar